MEDIUNIDADE NO MUNDO ESPIRITUAL - Por Maria Cristina Baracat

21/07/2011 15:51

Médiuns são os intérpretes dos espíritos, e “O Evangelho Segundo o Espiritismo”

esclarece que os médiuns suprem o organismo material que falta a estes, para nos

transmitirem as suas instruções”. Mas a mediunidade é exercida apenas entre

encarnados ou também ocorre nas outras dimensões?

Nos estudos do livro Obreiros da Vida Eterna, psicografado por Chico Xavier e

escrito pelo espírito André Luiz, na Fraternidade Espírita “Casa do Caminho”, aos

sábados, em Belo Horizonte, temos encontrado vários exemplos de mediunidade

ostensiva no mundo espiritual.

A obra tem como cenário principal a Casa Transitória de Fabiano, instituição

cujo objetivo é socorrer espíritos errantes em situação de arrependimento. Foi

“fundada por Fabiano de Cristo, devotado servo da Caridade entre antigos

religiosos do Rio de Janeiro, desencarnado há muitos anos (…)”. A casa possui

recursos de alta tecnologia, e o adjetivo Transitória tem duplo aspecto: porque é um

ponto de passagem para espíritos que necessitam de socorro e porque, a cada vez que

a Casa sofre um ataque das Trevas, desloca-se. Encontra-se em regiões trevosas,

com precipícios infernais e vastíssimas zonas de purgatório...

O trabalho socorrista é feito por equipe disciplinada e laboriosa, que necessita do

concurso de médiuns, a exemplo de Luciana, uma enfermeira e clarividente que se

aproxima do espírito de um padre prestes a ser resgatado e o convida a regressar no

tempo:

— Padre Domênico, vossa mente revela o passado distante, e esse pretérito fala

muito alto diante de Deus e da humanidade! (...)

Em outro capítulo, Luciana comunica à Diretora da Casa Transitória, Irmã

Zenóbia, que uma entidade mais evoluída espiritualmente deseja comunicar-se com

o filho da última encarnação, que faz parte da equipe, cujo nome é Gotuzo, pelo que

será necessário incorporar-se à médium:

A Irmã Zenóbia (...) interveio, acrescentando:

— Sim, Luciana, tanto quanto estiver em suas possibilidades, ceda o seu veículo

de manifestação,(...).

A faculdade mediúnica de visão da aura e a de leitura da mente, que Luciana

possui, também é útil em relação aos espíritos que se aproximavam da Casa

Transitória com más intenções:

Dele se aproximou Luciana, quanto pôde (...) e exclamou, espantada, embora

discreta:

— Oh! Como é horrível a atividade mental deste pobre irmão! (...). Está

amedrontado, mas não convertido. (...) A aura dele é demasiadamente expressiva....

Mas observamos que nem tudo o que a mediunidade percebe pode ou deve ser

revelado em certas ocasiões, lição que vale para qualquer médium, de quem se

espera discrição e discernimento, como este trecho exemplifica:

Ia dizer mais alguma coisa. Bastou, entretanto, um olhar do Assistente que nos

dirigia, para que ela se calasse, humilde, reintegrando-se no trabalho complexo

(...).

Enfim, leituras atentas, seguida de muitas releituras dos tesouros ainda não

descobertos adequadamente, que são as obras psicografadas por Chico Xavier, nos

esclarecem que ainda há muito para se compreender no Espiritismo, de cuja

trajetória estamos ainda bem no início.

 

Fonte:

Texto extraído do Jornal Mediunidade de Uberaba meses Julho/Agosto/Setembro 2011